/ Rio de Janeiro / Monumentos / Monumento ao …

Monumento ao Prefeito Pedro Ernesto, por Diário de Notícias

Monumento ao Prefeito Pedro Ernesto nas escadarias do Palácio Pedro Ernesto
Monumento ao Prefeito Pedro Ernesto nas escadarias do Palácio Pedro Ernesto

Era o Dr. Pedro Ernesto Batista natural do Estado de Pernambuco, tendo nascido na cidade de Recife, em setembro de 1884. Fez o curso de humanidades e os dois primeiros anos do de Medicina na Bahia, vindo completá-lo nesta capital (Rio de Janeiro), onde fez toda a sua carreira profissional. Dedicou-se à cirurgia, fundando, em 1918, a “Casa de Saúde Pedro Ernesto”, cujas instalações ampliou e aperfeiçoou em 1922. Na direção desse estabelecimento, consolidou a sua reputação de cirurgião, exercendo também com igual êxito a clínica médica. Seu interesse pelas coisas políticas revelou-se com o surto revolucionário de 1922. Desde então se tornou um líder civil, nesta capital, dos movimentos insurrecionais que tiveram seu desfecho em 1930, prestando, inclusive, devotada assistência a todos os elementos militares ou civis envolvidos nas conspirações malogradas. Esteve preso em 1924 como participante da conspiração chefiada pelo almirante Protógenes Guimarães. Com a vitória da revolução, em 1930, fez-se o Dr. Pedro Ernesto um dos líderes da organização das forças políticas nascidas desse movimento e que congregava, no Clube 3 de Outubro, os elementos veteranos das rebeliões anteriores. Nomeado interventor no Distrito Federal em 1932, exerceu o cargo até 1936, quando, envolvido no processo relativo à rebelião extremista de 1935 e do qual veio a ser absolvido, esteve alguns meses recolhido à prisão, recebendo grande manifestação popular no dia em que recuperou a liberdade. Sua administração caracterizou-se por iniciativas concernentes à educação e à assistência hospitalar, com a criação de numerosas escolas e a construção de vários hospitais.

Como político, chefiou o Partido Autonomista do Distrito Federal, que obteve a maioria da representação carioca na Assembléia Constituinte e na legislatura ordinária que se seguiu. Em 1937, esboçada a campanha da sucessão presidencial, que se encerrou com a dissolução do Congresso, a extinção dos partidos políticos e a implantação do regime vigente, em 10 de novembro, Pedro Ernesto filiou-se à União Democrática Brasileira, que sustentava a candidatura do Sr. Armando de Sales Oliveira à suprema magistratura. Desde então, voltou a dedicar-se, exclusivamente, às suas atividades profissionais. Foi mais tarde aos Estados Unidos em busca dos cuidados de um especialista da moléstia pertinaz que o acometera, mas não conseguiu debelá-la.

Seu falecimento ocorreu nesta capital, no dia 10 de agosto de 1942. Os funerais realizaram-se no dia seguinte, registrando-se grande comparecimento.

* * *

Várias homenagens foram prestadas ao Dr. Pedro Ernesto, interventor no Distrito Federal, no dia 25 de setembro de 1933, data de seu aniversário natalício, destacando-se a missa solene na Catedral, o banquete de 700 talheres no Automóvel Clube e a inauguração de um busto em bronze, no edifício da Prefeitura, homenagem do funcionalismo municipal como agradecimento pelas leis assinadas em seu benefício. A inauguração desse busto ocorreu às 15 horas daquele dia, perante numerosa assistência. Usou da palavra o Sr. Rafael Pinheiro, que recordou os principais traços biográficos do homenageado e as etapas de sua atividade como homem público, como médico e como administrador. O Dr. Pedro Ernesto falou a seguir, para agradecer. Em seguida, subiu ao seu gabinete, onde foi muito felicitado pelos representantes do Governo, delegados de instituições e outras pessoas presentes.

* * *

Palácio Pedro Ernesto
Palácio Pedro Ernesto

O pequeno monumento encontra-se, hoje, no jardim do Passeio Público, para onde foi removido em virtude da demolição do Paço Municipal, no mês de maio de 1944. [1] O busto em bronze, assenta sobre um pedestal de granito róseo lustrado, medindo 3 metros de altura. Numa folha de pergaminho em bronze, desenrolada sobre o mármore, lado da frente, vê-se a seguinte inscrição: “A Pedro Ernesto, o funcionalismo agradecido – 25 de setembro de 1933”. Nos cantos do pedestal vêem-se as inscrições seguintes, abertas no granito: “Decreto 3.786. 27-2-932”. “Decreto 4.003, de 3 de setembro de 1932” e, na face posterior, a seguinte: “Trabalho, Honestidade, Justiça”. É de autoria do escultor Pinto do Couto.

Homenageando ainda o antigo prefeito do Distrito Federal, existe também um medalhão com a sua efígie incrustado no granito, sobre a qual se ergue uma figura de mulher, trabalho em bronze, de autoria do escultor Humberto Cozzo, em frente ao Teatro Municipal, obra decorativa ali colocada para compor o respiradouro de ventilação do mesmo teatro.

Nota do editor

  1. O monumento encontra-se atualmente no Palácio Pedro Ernesto, sede do Legislativo Municipal (Câmara Municipal do Rio de Janeiro).

Fonte

  • Publicado na edição de 16 de julho de 1944 do jornal Diário de Notícias.

Texto original

Mapa - Palácio Pedro Ernesto, sede do Legislativo Municipal (Câmara Municipal do Rio de Janeiro)