/ Rio de Janeiro / Logradouros / Rua da …

Rua da Conceição, por Noronha Santos

GUIA e plano da cidade do Rio de Janeiro. [S.l.: s.n.], 1858. 1 planta ; 30,2 x 40,7 em f. 35,5 x 47cm.
GUIA e plano da cidade do Rio de Janeiro. [S.l.: s.n.], 1858. 1 planta ; 30,2 x 40,7 em f. 35,5 x 47cm. Disponível na Biblioteca Nacional

RUA DA PEDREIRA – OU – DA CONCEIÇÃO – Seu primitivo nome foi – rua que vai para a pedreira da Conceição – ou rua que vai de São Francisco para a pedreira, depois da edificação da Igreja de São Francisco de Paula, passando em princípios do século décimo nono a se chamar Rua da Pedreira, e, em 1830, simplesmente – Conceição.

Logo que foi aberta começava na Rua Senhor dos Passos, comunicando- se por um caminho vicinal com a área em que se pretendia edificar a Sé. O auto de vereança de 17 de novembro de 1796 determinou fossem reservadas as braças de terreno necessárias ao seguimento da rua que vai da Sé Nova para a Rua Senhor dos Passos. Em 1839 iniciou-se o prolongamento até a Rua do Príncipe (Senador Pompeu), em linha sinuosa.

Vários outros projetos de alargamento e prolongamento foram submetidos à deliberação da Municipalidade, inclusive o de Henrique Stepple, em 1891, sem terem conseguido os proponentes nenhum resultado.

Rua estreita e mal edificada, foi durante muitos anos habitada em quase toda sua extensão por mulheres de triste condição social.

Denominou-se Rua Vasco da Gama (decreto municipal, de 9 de novembro de 1898). O decreto n. 1165, de 31 de outubro de 1917 restaurou-lhe a antiga denominação Conceição.

Fonte

  • Anotação de Noronha Santos na introdução do livro Memórias para Servir à História do Reino do Brasil

Imagem destacada

Mapa - Rua da Conceição (Começa na Rua Luís de Camões e finda na Rua Senador Pompeu. Guia Rex, 1969)