/ Assuntos e … / Antiqualhas e …

Antiqualhas e Memórias do Rio de Janeiro, de Vieira Fazenda

  • Fazenda, José Vieira. Antiqualhas e Memórias do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. (t. 86, v. 140, 1919; t. 88, v. 142, 1920;t. 89, v. 143, 1921; t. 93, v. 147, 1923; t. 95, v. 149, 1924).

Durante muitos anos escreveu o saudoso patrício dr. José Vieira Fazenda, tratando de assuntos históricos e usos e costumes, monumentos e tradições do Rio de Janeiro, – cidade onde ele nasceu, da qual nunca se afastou, e que lhe mereceu afeto desvelado e constante.

Nesses curiosíssimos e doutos escritos derramou o dr. Fazenda imensa cópia de notícias e apreciações bebidas, em meio século de estudo, na consulta meticulosa de arquivos e de velhos documentos mal conhecidos, que fizeram o encanto e a grande preocupação de toda a sua vida.

Como valioso subsídio histórico, e ainda como homenagem prestada a esse laborioso Brasileiro e preclaro bibliotecário do Instituto, julgamos indispensável reproduzir esses trabalhos na nossa Revista.

No presente volume encontrará o leitor os primeiros 86 artigos, dispostos em ordem cronológica, tais como apareceram, e apenas expurgados de uma ou outra leve mácula, devida certamente à pressa e à despreocupação, com que pela maior parte foram escritos currente calamo. Em volumes subsequentes da Revista daremos aos estudiosos o seguimento desta vasta e preciosa contribuição histórica.

Não pareceu conveniente tirar aos trabalhos do autor certo sainete humorístico, com que ele costumava amenizar a narrativa ou o argumento. Com esse caráter, justo é que se conservem, tais e quais os traçou a pena do historiador arqueólogo.

Compõe-se a coleção: dos primeiros artigos que em 1896 publicou sob o titulo geral Au jour le jour; da longa série de folhetins escritos desde 1901 até 1913; e de alguns trabalhos do mesmo gênero estampados pelo dr. Fazenda em várias revistas.

Só deixaremos de incluir os 38 artigos intitulados Os Provedores da Santa Casa da Misericórdia, publicados de Outubro de 1908 a Junho de 1909; esses se acham já reunidos em volume, que veio à publicidade em 1912, por justa iniciativa da Provedoria daquela Irmandade.

Sendo variadíssimos os assuntos tratados pelo autor, e havendo ás vezes matérias diversas num mesmo artigo, desistimos do propósito de os grupar de outra forma. O índice por materiais, com que se rematará esta publicação, compensará o inconveniente da ordem cronológica adotada, e prestará, segundo cremos, bom serviço aos cultores da História pátria, que se interessem por estas preciosas antiqualhas.

Da Direção.

Tomos digitalizados
Páginas